Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

"COVILHÃ, CIDADE FÁBRICA, CIDADE GRANJA"

Sanatório das Penhas da Saúde

 

Projectado pelo arquitecto Cottinelli Telmo nos anos 20, e mandado construir pelos Caminhos de Ferro, este sanatório fica situado em Porta dos Hermínios nas Penhas da Saúde junto à cidade da Covilhã, a 950 metros de altitude. O seu objectivo foi o tratamento de tuberculose dos seus funcionários. Estes podiam beneficiar da localização em sitio calmo e dos ares da Serra, fazendo parte da rede de 11 sanatórios, existentes no inicio do século XX.

Demorou 8 anos a ser construído (1928-1936) e permaneceu fechado durante outros tantos anos, devido a circunstâncias diversas e estranhas à CP. Depois viria a ser arrendado à Sociedade Portuguesa de Sanatórios, com a condição de receber todos os doentes necessitados de tratamento de altitude, tendo cinquenta camas à disposição da Assistência Nacional aos Tuberculosos.

Este bonito edifício, se estivesse situado nos Alpes, decerto não teria acabado como as últimas fotos mostram.

 

O edifício acolheu, ao longo de mais de 40 anos, muitos milhares de tuberculosos, provenientes de todo o país, que procuravam recuperar da tuberculose nos bons ares da Serra da Estrela.

Apesar de acolher doentes de todas as classes sociais, os doentes menos favorecidos não tinham acesso a todas as alas, algumas destinadas apenas às classes altas, que ali encontravam todo o conforto que o dinheiro podia comprar.

-

Oito anos após a cedência, o edifício passou para as mãos do Estado, "tomando conta dele", o Instituto de Assistência Nacional de Tuberculose (IANT), passando também a partir de 1953, a ser internados doentes pobres.

O recurso à quimioterapia anti-tuberculose, levou ao encerramento dos sanatórios afastados dos centros urbanos e pouco rentáveis.

 

-

Sanatório1.jpg

-

Sanatório.jpg

-

Em Junho de 1969, por ordem do Ministério de Saúde e Assistência seria dada ordem de encerramento. O seu último director Dr. Carlos Coelho, licenciado em Medicina e Cirurgia pela Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra, acabou por ser o último testemunho do encerramento do Sanatório.

-

-

-
-

Depois do encerramento do edifício como Sanatório, este continuou a ser preservado por um casal, dois funcionários que aí permaneceram para o manter habitável. Enquanto esses dois funcionários, o Sr. José Francisco Amorim e Sra. D. Lurdes Amorim aí se mantiveram como funcionários do Estado, o referido espaço manteve todo o seu esplendor e todas as condições de habitabilidade até à altura em que foi utilizado para prestar acolhimento a cerca de 700 pessoas “retornadas”,  por motivo da independência das antigas colónias portuguesas.

Após a estadia temporária dessas pessoas, que entretanto procuraram refazer a vida e foram abandonado definitivamente o Sanatório que lhes serviu de abrigo temporário, notou-se muita degradação. Mesmo assim, o Sanatório manteve-se funcional e  preservado até ao momento em que estes dois funcionários abandonaram definitivamente o Sanatório quando chegou a idade da sua aposentação.

No final dos anos 80, quando já se encontrava praticamente abandonado e seriamente degradado passou para as "mãos" da Turistrela.

-

No ano de 1998 o Sanatório chegou a ser vendido à ENATUR (empresa das Pousadas de Portugal) pelo preço simbólico de 1 escudo. Em contrapartida a ENATUR comprometia-se a instalar ali uma Pousada de Portugal, cujo projecto chegou a ser elaborado pelo arquitecto Souto Moura o qual previa um investimento na ordem dos 10 milhões de euros. Entretanto a ENATUR foi entregue ao Grupo Pestana, e o projecto foi abandonado, tendo em 2004 cessado o contracto. Assim a titularidade do sanatório regressou às mãos da Turistrela.

 

Continua por decidir o destino a dar a este edifício …

 

 

 

Pousada Serra da Estrela

 

Depois de uma longa batalha o sonho concretiza-se

Foi preciso esperar nove anos para fazer concretizar a obra de transformação da ruína do edifício do Sanatório em nova Pousada da Serra da Estrela. A Entidade Regional de Turismo da Serra da Estrela fez disponibilizar os meios para o pagamento do projecto na condição de propor o arquitecto Souto Moura.

Agora, também nos sentimos orgulhosos; a Serra da Estrela inaugurará em menos de 16 meses a mais recente obra do vencedor do Prémio Pritzker.

Valeu a pena lutar pela concretização da obra (desde há 7 anos sozinhos).

Parabéns Eduardo Souto Moura.

In  jornal local “já agora

Pousada na Serra da Estrela... está quase pronta !!!

 

A reabilitação do edifício do antigo sanatório dos ferroviários, na Covilhã projectado pelo Arquitecto Cottineli vai estar concluída na Primavera de 2014, dando assim lugar à Pousada da Serra da Estrela.

A intervenção da autoria do arquitecto Souto de Moura teve um investimento total a 19,6 milhões de euros, apoiado a 70% pelo Programa Operacional Temático de Valorização do Território, no âmbito do Quadro Nacional de Referência Estratégico Nacional (QREN).

A pousada vai contar com 95 quartos e situa-se a 1200 metros de altitude.

Pousada abre a 1 de Abril

Ex-Sanatório dos Ferroviários encaixa meia centena de trabalhadores

  

A Pousada da Serra da Estrela, que resulta da reconversão do antigo Sanatório dos Ferroviários, localizada na Porta dos Hermínios, é inaugurada a 1 de Abril e entra nessa data em funcionamento, adiantou, ao NC, o Grupo Pestana.

De acordo com o gabinete de comunicação do grupo que gere a rede Pousadas de Portugal, o empreendimento vai criar “cerca de meia centena” de postos de trabalho.

A abertura da unidade hoteleira, como indicava o placar à entrada, estava inicialmente prevista para 2012, mas os trabalhos atrasaram. Há um ano, a ENATUR informava que a obra estava na fase dos acabamentos interiores e faltavam os arranjos exteriores e as ligações finais das redes de instalação de águas, esgotos, energia e telefones e a inauguração acabou novamente por ser adiada, já que chegou a estar prevista para o primeiro trimestre do ano passado.

A obra foi adjudicada há dois anos à Soares da Costa, por 13 milhões e meio de euros. Embora o investimento global ultrapasse os 19 milhões e meio de euros, incluindo o mobiliário, equipamento e a recuperação da zona envolvente. Um investimento apoiado a 70 por cento pelo Programa Operacional Temático de Valorização do Território, no âmbito do Quadro Nacional de Referência Estratégico Nacional (QREN).

No final da década de 80 o edifício passou a ser propriedade da Turistrela. Em 1998 foi vendido à ENATUR pelo valor simbólico de um escudo, para que esta o transformasse em Pousada de Portugal. Em 2003 o Governo privatizou 49 por cento do capital da ENATUR, passando o Grupo Pestana Pousadas a explorar a rede, mas o projecto da Serra da Estrela permanecia parado. Depois de anos de avanços e recuos, a obra começou no início de 2011.

In Notícias da Covilhã de 2014-02-26